quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Oração por um ano bom

Ore ao pôr do sol do dia 31/12

Santíssimo Pai Eterno!
Glorificado seja Vosso Nome para sempre!
A Ti, que habitais os céus, os mares, as matas, a terra e todo o universo, e com um poderio inimaginável fizeste com tuas mãos tudo o que existe nos planos deste e do mundo espiritual;
A Ti, humildimente, imploro:
Perdão Senhor. Pelas tantas fraquezas e deslizes que comiti neste ano que finda, fraquezas estas que te entristeceram e que por vezes nos afastaram, poço-te perdão, pois àqueles que me feriram e que me magoaram eu também perdoo com humildade, assim, faz-me dígno de teu perdão e de tua graça.
Venha o Teu Reino sobre mim. Tua infinta misericórdia, pela paixão de nosso Senhor Jesus Cristo, meu intercessor, dá-me que Teu Espírito ilumine minha oração e faça chegar a Ti como incenso suave.
Reveste-me das armaduras da paz, da graça, do amor, da concordia, do perdão e da fé, com as quais estarei seguro para enfrentar os tempos ruins e as artimanhas dos inimigos nos planos da matéria e do espírito.
Derrama tuas bençãos em minha vida e na vida daqueles que me cercam! Que eu possa, desse instante em diante, irradiar a tua luz e fazer prosperar os caminhos onde eu pisar.
Pelo Poder do Teu Nome, oh Altíssimo, eu abençoo cada dia desse novo ano. Neles, meus projetos se concretizarão, os desafios eu vencerei e cada dia será mais uma vitória.
Eu te louvo, oh Senhor Eterno, pelo ano que passou e por tudo que nele me destes a graça de realizar e Te agradeço por tudo que neste novo ano já me concedestes por teu infinito amor.

Glória a Ti pelos séculos sem fim!

Amém!

=========================================

A todos, um ano de luz, paz e fé!

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Retomada do Cinema Brasileiro se consolida em 2010


O ano de 2010 entrará para a história do cinema brasileiro como símbolo máximo da retomada de nossa produção cinematográfica. Os números animadores fazem sorrir os mais pessimistas no assunto. O ministro Juca Ferreira comemora. Produtores, exibidores e distribuidores vibram. Falta de talento e roteiros para as produções não é. Assim, é possível vislumbrar um céu de brigadeiro para o cinema no Brasil em 2011.

Muita gente foi ao cinema ver o aclamado Tropa de Elite 2, do José Padilha, que aliás bateu todos os recordes de bilheteria no Brasil, com quase  11 milhões de espectadores; chegou a desbancar as grandes produções do cinema internacional como “Homem Aranha” e “A Era do Gelo 3” e “Avatar”; está se fazendo uma comparação errônea com o filme “Dona Flor e Seus dois Maridos” grande produção do cinema de 1976, que atingiu quase a mesma marca do “Tropa 2”, acontece que as realidades no país são bem diferentes, que pese o número de salas de exibição em 76 que era muito maior, hoje as poucas salas de cinema que existe estão concentradas nos grandes centros urbanos. O sucesso do “Tropa 2”, além de sua qualidade técnica, da excelente equipe de produção e atores, se deve ao “Tropa 1” que caiu no gosto dos brasileiros e evidenciou o que seria o seguinte.
Mas nem só do “Tropa de Elite 2” vive o cinema no Brasil.
Este ano, só de longa metragem, foram lançados mais de 76 filmes. A começar por “Lula – O filho do Brasil” de Fábio Barreto, os espíritas “Chico Xavier” de Daniel Filho e “Nosso Lar” de Wagner de Assis, “História de amor duram apenas 90 minutos” de Paulo Halm (que, diga-se de passagem, foi um dos meus professores de roteiro), e finalizando com o filme “De pernas pro ar” de Roberto Santucci, com estréia marcada para o próximo dia 31.
De fato os números são animadores. Em comparação com o ano de 2009, o balanço é positivo, segundo o portal Filme B. Ano passado, mais de 112 milhões de pessoas foram ao cinema, e o filme “Se eu fosse você 2” teve uma renda de mais de 50 milhões de reais. Esses números foram ultrapassados gerando grandes expectativas para o ano vindouro.
Aliás, 2011 já começa com os promissores “Assalto ao Banco Central” de Marcos Paulo, que tem estréia prevista para 22 de julho, “Capitães de Areia” de Cecília Amado com estréia para 5 de agosto,  “O Palhaço” de Selton Mello (26/08). Isso é só pra atiçar, pois já são mais de 40 produções previstas para 2011.
Esse espírito de retomada do cinema nacional nos dá a certeza de que se os investimentos forem mantidos, breve seremos destaque mundial na produção internacional. E o Brasil tem tudo pra isso: belas paisagens, excelentes profissionais, tecnologia de ponta, criatividade. A receita perfeita para uma decolagem estonteante rumo ao sucesso das telonas.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Eles zombam de nós!


A pouca vergonha dos políticos brasileiros continua nos enojando. A cada dia que passa, os desmandos na política desse pais, vai nos deixando mais revoltados. Como se não bastasse sermos legalmente furtados todos os dias arcando com uma das maiores cargas tributárias do mundo, temos que conviver com os péssimos salários e aguentar uns cara de pau legislando em causa própria, em tempo record, para aprovar altíssimos reajustes salariais. E a gente fica aqui com a cara de palhaço.
O Congresso Nacional e o Senado aprovaram num piscar de olhos reajustes de 61,83% para os parlamentares, de 133,96 para o presidente da república e 148,63% para o vive-presidente e os ministros de Estado. Enquanto isso o salario do trabalhador aumentou de 2007 a 2010 parcos 42,1%. Nós, trabalhadores, saímos de 380 em 2007 para 540 em 2011; já eles, veja bem, deputados e senadores, sairam de 16,5 mil em 2007 para 26,8 mil em 2011, presidente saiu de 11,4 mil para 26,2 mil, ministros e vice-presidente sairam de 10,7 mil para 26,7. Os professores, por exemplo, tiveram o menor aumentos entre todas as classes trabalhistas de 23,75% no mesmo período. (Fonte: Governo Federal e Dieese)
Uma votação rápida, sem registro no painel eletrônico, em caráter de urgência, assim 279 parlamentares aprovaram essa vergonha, virando as costas para a opinião pública e cuspindo na cara dos eleitores.
Registre-se minha indignação com a postura desses políticos, vou procurar saber se aqueles para os quais eu votei fizeram parte dessa falta de respeito à Nação Brasileira para que nas próximas eleições eu possa dar o troco e mandar esses pilantras tomar bem no meio de seus excelentíssimos monossílabos tônicos.

domingo, 12 de dezembro de 2010

A Falsa Paz no Rio de Janeiro

"Este é um dia histórico para o Rio de Janeiro" foi essa a frase proferida várias vezes no telejornalismo brasileiro. Mas de que dia histórico esta se falando? Por ventura não foi o dia em que o Estado, por força de pressões internacionais para realização da Copa, decidiu exterminar legitimamente os meliantes do Rio? Senão vejamos.
A criminalidade organizada nos morros do Rio remonta de mais de cinco décadas. O crime vem se fortalecendo nas fuças do Estado enquanto este vem negando, nas favelas de todo o Brasil, o mínimo para se garantir acesso aos bens e serviços públicos promotores da Dignidade Humana. Por acaso queria o Estado que se formasse nas favelas uma nação de pessoas felizes e políticamente corretas a despeito da negação da descência mínima que não lhes assiste?
Não, não há o que se comemorar. Definitivamente não é a libertação carioca que está sendo defendida. Não é o interesse público que motiva o Estado neste momento. Pois se houvesse interesse público a criminalidade jamais teria chegado às raias da loucura como chegou. Outra maluquisse é pensar que numa ação relâmpago vai se resolver problemas que se enraizam há décadas.
Onde estão a garantia dos Direitos Sociais dos cidadãos? Onde está a isonomia, a igualdade, nos morros cariocas? Enquanto houver desigualdade econômica haverá crime. E o papel do Estado é colocar o exército nas ruas? Não vislumbro justificativa plausível. O que consigo ver nesse emaranhado de guerra é uma segregação disfarçada, pois lá nos morros ficarão confinados seus moradores com todas as suas necessidades sociais e seus direitos negados. Mas o exército estará lá garantindo a paz e a segurança. Garantindo a segurança, não dos moradores, mas dos visitantes da Copa e das Olimpíadas.
Outro dia Arnaldo Jabor disse em um de seus comentários no Jornal da Globo: "... a verdade é que estávamos com medo dos moradores das favelas, a violência do tráfico nos fez odiar a pobreza, como se fossem aliados do crime..." ora, Arnaldo, vamos admitir, o crime é sim fruto da marginalidade, da negação dos direitos, da segregação, da miséria. É também fruto da corrupção e da morosidade do poder público que não enfrenta como deveria. É um fato social inegável. Enquanto houver diferenças, haverá criminosos.
Quero deixar claro uma coisa: concordo com o combate ao crime sim, pois não sou louco, mas discordo veementemente da forma como esta sendo dirigida essa operação no Rio. Embora eu cá na Bahia não tenha muito que ver com a brasa da sardinha dos outros, entendo que como cidadão, devo apenas advertir que esta é uma política vergonhosa. Não se faz segurança pública desta maneira. Devo advertir ainda que o crime não foi aniquilado e me preocupo com os policiais e suas famílias, que no cumprimento do dever tem colocado suas vidas em perigo, pois enquanto o crime é organizado, o Estado mete os pés pelas mãos.
O problema do Rio vai além de suas fronteiras pois drogas e armas entram nesse país com muita facilidade, nossas fronteiras são mal vigiadas; além disso tem a famigerada corrupção, a meu ver o pior de todos os males desta nação, a currpção é responsável por permitir que criminosos tenham acesso a armas de uso exclusivo do exército, tenham facilidade para se locomover entre tantos outros privilégios (assistam ao Tropa de Elite 1 e 2); o déficet de policiais por habitante e o despreparo da maioria dos militares se aliam à essa ineficiência da segurança pública. Depois ainda tem as penitenciárias em estado crítico, verdadeiras faculdades do crime; ainda tem a lerdeza das tramitações dos processos judiciais, a falta de promotoria, falta juizes, os advogados corrúptos; vem a ilegalidade das milícias fazendo o trabalho sujo que o Estado varreu pra baixo do tapete, a lista é longa e o Estado fecha os olhos. Mas nós, cidadãos, não podemos fechar nossos olhos para os desmandos oportunistas de um Governo que quer fazer bonito para o mundo equanto nós ficamos à mercê de migalhas.
Essa guerra não chegou ao fim. Não há vencedores. A paz instalada é falsa como nota de duzentos reais. Aguardem os próximos episódios.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

O Papai Noel do Consumismo

Chegou Natal, época em que o comércio comemora o 13º salário dos sofridos trabalhadores. A mídia enfatiza a ida às compras como se fosse obrigatória nessa época do ano, e muita gente, por pressão, se sentem compelidas a tal. Começam os “amigos secretos” das turmas que passaram o ano inteiro cheias de picuinhas, o auge da hipocrisia. O monstro rubro do Papai Noel entra pela chaminé – quem, por mil diabos, costuma vê chaminé por essas bandas? Nem fogão a lenha se tem mais, mesmo aqui no Nordeste queimamos gás metano à vontade. Neve? Só se for de areia nessa época de ventos. As vitrines estão cheias de neve de isopó ou algodão, pois frio aqui nessas bandas nem dentro do congelador. Eu não entendo por que o tal do Papai Noel tem que vestir vermelho (não poderia ser verde, azul, amarelo?). Seria alusão à coca-cola ou à bandeira americana? Outro dia o repórter perguntava a uma criancinha: você acredita em Papai Noel? Ela disse que sim. Claro, a pobre coitada nasceu ouvindo dizer que na véspera da noite de natal deve deixa a meia na janela. Tem brasileiro que acha um crime dizer para uma criança que o sacana do Papai Noel não passa de um colossal jogo comercial para fisgar o dinheirinho sofrido do trabalhador. Mais é. Papai Noel não existe. É a ridícula farsa comercial que escraviza o rico e o pobre no jogo sujo do capitalismo selvagem.
Pinho. Pinheiros. Árvores de natal em forma de pinheiro, isso faz mesmo parte de nossa flora? Pinheiros recheados de neve. A coisa mais escrota que eu vejo nas vitrines são árvores de natal cheia de neve. Não sei se importamos ou fomos novamente colonizados por uma cultura maluca que nada tem a ver com nosso mandacaru quando fulora na seca.
Ainda usam o nome do Santo Cristo. “Então é natal, a festa cristã”. O cristianismo está longe desse movimento consumista, dessa hipocrisia escancarada. Nem Deus escapa da falta de vergonha do comércio. Depois de nos encherem de propaganda exaltando o consumismo desenfreado, ainda me vem o safado do Noel dando uma risada sarcástica como se dissesse: oh, oh, oh, mais um otário caiu na minha teia. Bom velhinho uma ova.
Ninguém mais sabe qual é o significado do natal além do panetone, enfeites, presentes, avenida 25 de março (SP). A celebração da ceia? Se não tiver pirú, vinho, panetone, mesa farta, presentes caros, não é natal. A ditaduro desavergonhada desse sistema escravizador das consciências já estabeleceu que natal é isso ai: consumo, vaidade, egoísmo. Neste Natal não há espaço para o Cristo da manjedora, da humildade e da paz.
Ta escrito na Bíblia que o diabo é o pai da mentira. Papai Noel é a mentira mais sem vergonha que eu já vi. Logo esse tal de Noel, que vem lá do Polo Norte, é filho do diabo. Seu objetivo não é outro senão escravizar a humanidade nas garras do consumismo, do materialismo, do imediatismo, da falta de limites, do endividamento entre tantas outras chagas malígnas. Ele vem transvestido de bom velhinho, pegando criancinhas no colo, com cara de inofensivo. No fundo ele é o estígma maldito de um povo subjugado pelo amor ao ter em detrimento do ser.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

CLANDESTINOS - O sonho começou

Os baianos Emiliano D’Avila (ator) e Daniela Mercury (cantora)
  

 Ta ai uma série que eu to curtindo e achando muito interessante. Clandestinos - o sonho começou é a nova série da Rede Globo, que vai ao ar as quintas-feiras logo após A Grande Família. 
A idéia nasceu a partir da peça teatral "Clandestinos" para a qual mais de 3 mil candidatas se inscreveram, 400 foram ouvidos e 30 foram selecionados. O texto e a direção são de João Falcão. A peça estreou em 2008 pela Companhia Instável de Teatro. Pena que eu não pude assistir.
A peça ainda está em cartaz, no Teatro do Leblon, e com a estreia na TV, ouço dizer que está sendo muito concorrida.
No palco, um autor determinado a escrever uma peça é atormentado por uma série de personagens que fazem de tudo para convencê-lo a desenvolver as suas histórias e fazê-los “acontecer”. Uma comédia onde o mundo do show business é retratado pelo ponto de vista de quem está à margem desse mundo, fora de cena, louco para entrar. 

"Clandestinos é um sucesso principalmente porque fala a linguagem das pessoas, porque fala de e para pessoas reais. Jovens sonhadores. O que nós falamos ganha eco na vida das pessoas e elas se identificam com a história e com as personagens. O que faz de Clandestinos um sucesso é sua relevância social e artística e a catarse que provoca." Emiliano.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Convites: Paletra sobre Bullying e Fórum de Crítica Cultural 2

Olá pessoal, convido a todos para esse momento de diálogo sobre BULLYING, à luz do Princípio de Dignidade da Pessoa Humana.
O Deivid Oliveira e eu, Abimael Borges, acadêmicos de Direito, orientados pela professora de Direito Constitucional, Prof. Francys Balsan, estaremos promovendo um momento de reflexão na busca de ações de sensibilização sobre o tema, abordando o seu conceito, sua ocorrência no Brasil e no mundo, a problemática nas escolas e em outros ambientes coletivos, o enfrentamento por parte das autoridades e as responsabilidades dos agentes (agressores), pais, professores, colegas, instituições no combate ao bullying. O Princípio da Dignidade da Pessoa Humana como parâmetro de respeito mútuo à singularidade de cada indivíduo, as diferenças como fator de celebração da vida em sua plenitude, as manifestações de vontades, escolhas e opções da vida enquanto direito à liberdade, as garantias legais que favorecem a defesa do indivíduo e sua integredade física e psicológica, os mecanismos de defesa do cidadão, entre outros temas. 

Para conhecer melhor o que é Bullying, sugerimos a cartilha do Conselho Nacional de Justiça, disponível na internet no endereço: http://www.cnj.jus.br/images/Justica_nas_escolas/cartilha_web.pdf

Fica o convite.

-------------------------------------------------------------------------------
Outrossim. De hoje (18) a 21 de novembro está acontecendo o FÓRUM NACINAL DE CRÍTICA CULTURAL 2, evento que envolve educação básica e cultura fazendo diagnósticos, proposições e novos agenciamentos.
Uma grande oportunidade de promoção da cultura.
O evento acontece no CAMPUS II - UNEB em ALAGOINHAS.
Nele está acontecendo feira de ciências, oficinas, minicursos, conferências, mesas redondas, atos estéticos-políticos.
Destaco principalmente os eventos provinientes de SÁTIRO DIAS:
O lançamento do livro TATUAGEM, da escritora Cristiana Alves;
A mostra vídeos do projeto Por Trás das Lentes, coordenada pelo cineasta Herval de Santana;
Encontro com o escritor Antônio Torres;
Encontro de Conterrâneos e Amigos de Sátiro Dias, encabeçado por Charles da Cruz;


Entre outros eventos

Eu também estarei lá, no dia 20, sábado, das 14 às 18 horas, na sala 4, promovendo uma Oficina de Produção de Vídeo Digital.

Todos convidados. Abraços, até.

domingo, 7 de novembro de 2010

ENEM - 2º Prova

O segundo dia de provas do ENEM foi marcado pela tranquilidade.
O tema da redação foi excelente: "O trabalho na construção da Dignidade Humana". Fiz primeiro a redação, claro. Depois, com calma, fiz a prova de Linguagens e por último a de Matemática, que não sou muito fã.
Estruturei minha redação em quatro parágrafos:
No primeiro fiz a introdução abordando trabalho e dignidade como direitos fundamentais garantidos na lei;
No segundo conceituei trabalho e seu exercício ideal com base nas leis do trabalho em contraponto com a realidade vivenciada na sociedade brasileira e evidenciada através da mídia (claro que não citei fatos sem suas fontes);
No terceiro falei do trabalho como pilar da Dignidade Humana por conferir autonomia financeira e liberdade ao cidadão, isto quando ele se dá no modelo ideal, já disse, em contraponto com os abusos às leis trabalhistas, como é o caso do trabalho infentil e da escravidão.
No quarto e último parágrafo, fiz uma conclusão enfatizando a necessidade que a sociedade tem de fiscalizar o cuprimento da legislação trabalhista, o dever do Estado de punir os responsveis por crimes nessa esfera e enfatizei a importância do trabalho na efetivação do sentimento de Dignidade Humana numa sociedade livre e igualitaria.
Bom, não foi das melhores, nem das piores. Acredito que vou tirar uma boa nota. Vamos aguardar pra conferir.
Boa sorte a todos que fizeram as provas.

Ah, devo corrigir o que eu disse ontem sobre a duração da prova, não foram 3 horas, mas 4 horas e 30 minutos e hoje foram 5 horas e 30 minutos.

Outrossim, quem se sentir prejudicado pelos erros de montagem e de órdem das questões devem acompanhar as soluções que serão propostas pelo MEC. Já sabemos que existe a possibilidade de ser feita uma nova prova, então não desistam, denunciem ao MEC e aguarde uma solução justa.

Até mais.

sábado, 6 de novembro de 2010

ENEM - 1ª Prova

Hoje fui fazer o ENEM. Aqui na Bahia não temos horário de verão, mas a prova foi realizada no horário de Brasília, por isso muita gente chegou atrasado. Tem gente muito despercebida que não presta atenção nos noticiários e nem liga pra nada, em cima da hora vai correr atrás do prejuízo e é tarde. 
Logo quando eu estava chegando no colégio, vi um rapaz partir correndo ao perceber que sua sala ficava em outra escola do outro lado da cidade; nessa correria por pouco ele não foi atropelado.
A prova estava boa. Considerei que os enunciados estão mais claros, embora a complexidade das questões tenha se mantido. Eu gostaria de saber qual é o aluno do Ensino Médio que estuda, nessa região, Maquiavel e Michel Foucault? Teve questões que exploraram o pensamento desses caras.
Um erro grotesco pode ter prejudicado muita gente. A sequência das questões na folha de resposta era uma e no caderno de questões, outra. Muita gente pode ter pensado que a primeira questão deveria ser marcada na questão 46 (correspondente às questões de HUMANAS), mas, a orientação (tardia para alguns) foi de que deveria ser marcada na sequência. Que confusão! Parece que equívocos e problemas estão virando a cara do ENEM.
A prova está complicada no tamanho, está mais cansativa. Antigamente eram 63 questões e uma redação em um único dia, mas em 5 horas. Hoje temos três horas pra responder as 90 questões do primeiro dia.
Desejem-me sorte, amanhã é a melhor parte: Redação.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Harry Potter e as Relíquias da Morte - A saga do bruxinho chega ao fim

O Sucesso mundial do bruxinho Harry Potter está chegando ao fim para a tristeza dos milhares de fãs em todo o mundo. O último filme "Harry Potter e as Relíquias da Morte" terá lançamento mundial no próximo dia 19.
A revista "Entertainment Weeky" divulgou essa semana fotos das gravações da primeira parte do dessa última aventura, nas fotos o ator Daniel Radcliffe, protagonista, aparece descontraído. A saga promete. A autora J. K. Rowling faz mistério sobre o enredo, mas pelo que vemos nas fotos, poderá ser outro grande sucesso.
Para se ter ideia da magnitude fenomenal da saga do bruxo Harry Potter, fazendo uma simples busca no google você encontra mais de 153 milhões de resultados. A fortuna da inglesa J.K. Rowling, autora da saga, em 2007, era estimada em 545 milhões de libras (aproximadamente R$ 2 bilhões). Ela é mais rica que a rainha Elizabeth. Daniel Radcliffe, de 18 anos, que interpreta Harry Potter há seis anos, é o adolescente mais rico do Reino Unido, com uma fortuna estimada em 17 milhões de libras (aproximadamente R$ 64 milhões) ( Dados do Portal G1)
Veja as fotos do novo filme que estreia no próximo dia 19.





Fotos: Reprodução/Entertainment Weeky

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Bullying - é hora de reagir!


Eu tive o desprazer de conhecer, na infância, dois irmãos gêmeos que transformaram minha vida escolar num inferno. Lembro-me como se fosse agora, aqueles dois galeguinhos me esperando na porta do colégio com o intuito de tomar minha merenda, roubar meu dinheiro e depois me humilhar na frente de todos, dentro da sala. Os dois pestinhas esperavam as professoras dar as costas pra encher minha cabeça de tapas. Na hora do recreio eu preferia não sair da sala, pois quando esquecia desses dois camaradas, e me dirigia até o pátio para brincar chovia pedras, cascas de frutas, bolinhas de papel em cima de mim. Os colegas riam. Aos poucos eu comecei a senti muita angustia na hora de ir pra escola. Por diversas vezes inventei dor de cabeça, dor na barriga, febre entre outras coisas só para não ter que ir à escola; outras tantas vezes eu fingi que ia, virava a esquina e voltava para brincar no quintal da casa do meu melhor amigo, o Devinho. Na hora da saída, eu já começava a tremer, pois todos os dias era uma carreira. Os dois diabos saiam na frente e ficavam me esperando, a turma já habituada a essa caçada, ficava à espreita. Eu saía intimidado e eles gritavam "corre!", se eu não corresse me jogavam pedras, se corresse, viam atrás de mim na maior algazarra até sermos disperçados por caminhos opostos nas direções de nossas casas. Para minha sorte isso não durou muito tempo, acredito que apenas seis meses, pois meus pais me transferiram de escola. Como eu, muitas crianças sofrem esse tipo de situação. O nome disso é Bullying.

Tudo começa como brincadeira. O menino mais retraído, menos comunicativo, introspectivo; a menina menos levada, tímida, centrada. Características físicas menos comuns, como por exemplo ser magro, ter um defeito ou má formação física, ser especial, sensibilidade aguçada, dedicação maior aos trabalhos escolares. Esses são alguns requisitos para tornar alguém alvo das brincadeiras de mau gosto. Tais brincadeiras evoluem, e a vítima vai se tornando cada vez mais amarga, se isola, foge da escola ou do ambiente coletivo em que esta sendo humilhada, constrangida, perseguida, intimidada, aos poucos ela começa a sentir-se inferior, perde a auto-estima, culpa-se por ser diferente, considera-se à margem da sociedade. Pior que tudo isso: ela começa a perder o gosto pela vida.


Bullying foi o nome escolhido para esse fenômeno que a sociedade começa a perceber como um problema grave e que carece de ações urgentes para conter seus efeitos danosos. Mas o bullying não é novo, ocorre que só agora ele vem ganhando proporções insuportáveis e se evidenciando como problema. É hora de reagir. O Bullying é uma afronta aos Direitos Humanos, pois fere o princípio da igualdade e da dignidade da pessoa humana.

Identifique e enfrente o Bullying

O Bullying é uma perigosa agressão física ou psicológica que pode deixar consequências pro resto da vida, quando não acabar com a vida da vítima. É perigosa porque é silenciosa. Sua principal característica é a repetição exautiva de um comportamento agressivo, depreciativo e humilhante em relação a alguém incapaz de se defender. 

Para saber se alguém esta sendo autor de Bullying, basta perceber a frequência com que  a pessoa coloca apelido de mal gosto, sacaneia, ofende, humilha, se satisfas com o sofrimento alheio. Geralmente agressores tem histórico de agressão familiar, abuso ou é proveniente de lares desestruturados.

Para saber se alguém está sendo vítima de Bullying, será preciso conhecer bastante a pessoa e perceber as mudanças no humor, nas atitudes, nos comportamentos gerais. Se a pessoa começa a evitar estar em um determinado ambiente, se passa a evitar algumas pessoas (agressores), se perde o estímulo pelo que fazia. Fique alerta e tente fazer um acompanhamento mais próximo.

Se identificou que alguém é vítima de Bullying, o que fazer? Lembre-se que o Bullying é perigoso e deve ser enfrentado com ações sérias. Saiba que  essa prática pode se configurar como crime de racismo, preconceito, xenofobia e até lesão corporal. Identifique os agressores e leve o caso às autoridades responsáveis pela entidade e também comunique à promotoria pública. Dê apoio à vítima, não cruze os braços, tome as providências legais e necessárias.


__________
Permito a reprodução desse texto desde que cite a fonte e o autor.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Preconceito contra o Nordeste em pleno século XXI?

A vitória de Dilma despertou em algumas pessoas do Sudeste do Brasil um sentimento nefasto e vil contra o Nordeste. Com todo e sincero respeito às milhares de pessoas de boa índole e caráter inequívoco que existe na região Sudeste, pois temos plena consciência de que esse tipo de atitude parte de uma minoria desesperada e infeliz. O fato é lamentavel. Um dia depois das eleições, a usuária Mayara Petruso, manifestou o que pode haver de pior em um ser humano: o preconceito. (veja foto)


A atitude dela foi seguida por outras de igual ofensa. Em consequências disso, alguns moradores da região Nordeste também manifestaram sentimento de ódio contra o Sudeste.
Realmente é lamentavel que em pleno século XXI ainda exista esses manifestações radicais em nosso país.
Vale lembrar que a Constituição desse país (1988) em seu Art. 1º define o Brasil como uma República Federativa, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, e constituindo-se em um Estado Democrático de Direito, por conseguinte, reza a nossa Carta Magna, no Art. 5º que todos somos iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, e temos a garantia de inviolabilidade dos nossos direitos à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade.

O nordeste é historicamente uma região onde as intempéries naturais tem vitimado muitas pessoas. Eu atribuo a pobreza nessa rigião a dois fatores fundamentais: 1. A escacez de água - que com a transposição do Rio São Francisco - obra do governo Lula - vai melhorar muito a vida nessa região, o problema da escacez de água pode ser resolvido com irrigação e escavações de poços artesianos, mas ai vem um outro lastimável problema. 2. A corrupção política - obras superfaturadas, obras cujos recursos são desviados para fins particulares, gente grande se beneficiando do erário público para se locupletar, incapacidade do sistema de investigar e punir esses desvios, brechas na legislação vigente que favorece a impunidade entre outras coisas.

Portanto repudiamos com todas as forças de nossa vida qualquer ato de discriminação e preconceito. Certos de que não foi o Nordeste que elegeu Dilma, mas o Brasil como um todo. O meu apoio particular à candidata do PT, se fez por convicções políticas claras de que essa foi a melhor ecolha para o país.

Como já dizia Euclides da Cunha "O sertanejo é antes de tudo um forte". Nos basta saber que se um cara tão genial foi capaz de reconhecer isso, a senhora mente vazia Mayara Petruso não passa de alguém desorientada.

Nós, os Mesários!


Para muitos brasileiros, como eu, o ato de votar, não é o único ápice da democracia. Paralelamente ao exercício pleno de nossa cidadania, nós contribuímos diretamente com o processo eleitoral, ajudando o Brasil a escolher de forma livre e soberana os seus representantes. Nós somos os MESÁRIOS VOLUNTÁRIOS. Nos orgulhamos de prestar um dos servições mais importantes à pátria amada. Mas toda eleição envolve grande responsabilidade, isso torna o processo um tanto tenso, pois além de termos a obrigação de fazermos nosso trabalho com a maior lisura possível, estamos sujeitos a penalidades legais caso algo errado ocorra injustificavelmente. É o caso de colegas que já responderam a processo por ter esquecido de assinar uma das vias do BU (Boletim de Urna).
Trabalhar nas eleições tem suas vantagens, entre elas, o direito a duas folgas por dia trabalhado, inclusive para os dias de treinamento; preferência no desempate em alguns concursos públicos (desde que previsto em edital); auxílio-alimentação; utilização das horas trabalhadas nas eleições como atividade curricular complementar (em algumas instituições).
Afinal é muito gratificante trabalhar numa eleição, principalmente pelo fato de nos orgulhar do processo eleitoral no Brasil por sua agilidade e confiabilidade. Mais uma vez o Brasil demonstra ao mundo sua imensa capacidade de promover a democracia.
A baixo, os resultados da seção em que trabalho.

Clique na imagem para ampliar.


quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Justin Bieber e Restart fazem a festa do mercado da música, da moda e da mídia.




A mais nova febre na mídia é a turma dos coloridos e cabelos escorridos. Uma explosão sem precedentes que movimenta milhões no mercado fonográfico, de moda e mídia. Uma rápida busca no Google com o nome RESTART deságua mais de 20.700.000 citações; quem coloca o nome Justin Bieber, tem nada menos que 101.000.000 citações. A maior parte do mercado que absorve a música de bandas como Restart e de cantores como Justin Bieber é formada por adolescentes, mas é a indústria da mídia, da moda, da música que se satisfaz com tudo isso.

No caso do astro Justin Bieber, salvo seu reconhecido talento artístico, gira em torno dele uma grande armação publicitária com a finalidade de vender. Ele começou lançando vídeos na internet e, em um só mês, acumulou mais de 10 milhões de acessos. Seu primeiro CD (My Wold) vendeu quase 150 mil cópias só na primeira semana do lançamento, o mesmo CD, em seu segundo lançamento, chegou a quase 290 mil cópias vendidas. Nos EUA ele vendeu mais de um milhão de cópias. Seus vídeos e perfis da internet batem recordes de acessos e ele está no topo da lista dos assuntos mais comentados em todos os sites de relacionamentos e afins. Além de tudo isso, o astro virou ícone, modelo a ser seguido por milhares de adolescentes que copiam seu estilo, corte de cabelo, jeito de agir, objetos pessoais. Enfim, Justin Bieber é uma mina de ouro ainda inexplorada, pois tudo o que cerca o astro tem infinito potencial ser comercialmente valorizado.
Essa febre, em números menores, mas não desprezíveis, ocorre no Brasil com bandas como a Restart. A banda faz shows para cerca de 100 mil pessoas, vende por mês cerca de 10 mil camisetas, conta ainda com mais de 60 mil CDs vendidos; nos sites de relacionamentos ela agrega mais de 700 mil plays da música “Recomeçar” no MySpace, no twitter oficial da banda se somam mais de 300 mil seguidores. A Restart lançou mais de 20 produtos no mercado e todos com grande potencial de venda. Movimentam milhões de reais com seus shows e eventos diversos. Influencia com seu estilo ultra-moderno milhares de jovens em todo o país sendo, portanto, uma valiosa mina para as industrias de música, moda e mídia.

A música em si não é lá essas coisas aqui. O que importa não é a qualidade da letra, da melodia, da orquestração, nada disso é de fato significativo. Importante mesmo é o quanto vende. É como o axé e o pagode da Bahia – lixo que vende a rodo – já pensou quantas vezes e a quanto tempo Durval Lele e Bel repetem o mesmo show? As mesmas e enfadonhas músicas ainda arrastam os milhões (de gente e de grana) nas ruas de Salvador. Mas o caso é que a nova geração não está nem ai para a qualidade musical e os donos do mercado que exploram essas novas tendências se sentem que nem pinto no lixo – felizes da vida.

Enquanto Justin Bieber e Restart fazem a festa do mercado da música, da moda e da mídia com lucros cada vez maiores, forma-se aos poucos uma geração de futilidades. Tudo gira em torno do nada. Gera-se uma sociedade desprovida de objetivos de longo prazo, vazia de ideologia e perigosamente manipulável. A música e a moda com prazo de validade muito curto, pois são fundadas nas coisas mais efêmeras e corriqueiras da existência humana, despreocupada com os lemas e dilemas essenciais à raça humana, nada mais é que um passa-tempo alienante.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Pela a vida - Contra o aborto!

O aborto no Brasil é crime. Esta no rol dos crimes cometidos contra a pessoa e contra a vida. É punível o aborto praticado pela gestante, com ou sem o consentimento dela e com auxílio de outra pessoa (art. 124, 125, 126 do Código Penal). Há ainda duas formas em que o aborto deixa de ser punido, mas não deixa de ser crime: o caso em que não haja outra forma de salvar a vida da mãe e o caso em que seja uma gravidez decorrente de estupro com o consentimento da gestante ou, se ela não puder expressar sua vontade, com o aval do responsável legal. Isso através de consentimento judicial e unicamente praticado por médico (art. 128, incisos I e II do Código Penal). É assim que é e deve continuar sendo.
Não é preciso ser Cristão para perceber que o ABORTO é uma maldição, mas como Cristão e como ser humano, sou totalmente contra essa prática. O Brasil é um país de maioria cristã, e nossos princípios são incompatíveis com essa conduta.
Não há nada mais precioso que a vida e sobretudo a vida humana, pois esta é dotada de inteligência, racionalidade, criatividade e singularidade. O ser humano é único. Não há no universo outra espécie que se assemelhe a ele, portanto sua dignidade deve ser preservada. A dignidade da pessoa humana em nossa Lei Maior, a Constituição de 88, em seu artigo 1º e inciso III, é estabelecida como fundamento do Estado Brasileiro. Vê-se ruir um edifício ao se destruir seus fundamentos, isto é, legalizar ou facultar o aborto é o início da desconstrução de nossos fundamentos éticos, morais e sociais que deram origem à nação brasileira.
Concordo que a lei deve ser dinâmica como os anseios da sociedade, mas abortar não é evolução, é o retrocesso à barbárie. E como se perdêssemos completamente a racionalidade.
Falar de dignidade humana, de modo analógico, não exclui o ser humano integral. Numa singela concepção pessoal, penso que não há o que se discutir quanto ao início da vida, a vida preexiste ao nascimento na forma de mãe e pai.
Religiões, filosofias e ciências discutem o momento da fecundidade, querendo entender em qual momento um espírito entra no feto ou se ao nascer ou se ao chorar. Qual o início da vida? Discutir o momento da fecundidade como o momento do início de uma nova vida é desprezar a vida humana em sua essência. Quem disse que o esperma e o óvulo materno não estavam vivos antes da fecundação? É preciso ter a sensibilidade de perceber que a morte não gera a vida, sendo esta, portanto, uma continuidade ininterrupta da existência natural. Somente a vida é capaz de dar origem a outra vida, sendo esta uma continuidade daquela, um ciclo glorioso que ninguém tem o direito de quebrar, legalizar ou facultar sua quebra.
Nós, seres humanos, não descartamos os membros de nossos corpos ao relento como ocorre entre os animais. Nós respeitamos os nossos entes e mantemos sua dignidade na vida e na morte. Não desonramos a memória de nossos mortos. Porque haveríamos de nos portar com tanto desprezo com a vida?
Ainda relembrando as clausulas pétreas que resguardam os direitos e garantias fundamentais dentro da Magna Carta, no artigo 5º e inciso III, em que se lê “ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante”, podemos falar em tratamento mais desumano a que um bebê é submetido num aborto?
Uma gestação é fruto de uma união, onde duas vidas se fundem em uma. Quando uma mulher decide por sua livre escolha estar com um homem, ela não pode ser inocentada de sua responsabilidade enquanto genitora, para penalizar um feto. Podemos até planejar o momento em que queremos um bebê, mas jamais tirá-lo à força por nossa liberalidade e luxúria o fruto de nossa atitude procriadora.
Eu considero que as pessoas tem o livre arbítrio para pensar o sexo como diversão ou procriação, isso é uma decisão pessoal que não interfere na vida dos outros, se é pecado ou não cabe à consciência de cada um que deve agir conforme aquilo que acredita. Particularmente vejo no sexo promíscuo forte degradação moral, irresponsável e capaz de despojar o ser humano de sua dignidade e amor próprio. Sexo é para ser feito com amor e amor é responsabilidade e respeito para consigo e para com o outro, menos que isso é insanidade.
Fato é que no momento em que se reacende o debate sobre legalização/facultação do Aborto no Brasil e ao temermos que os novos políticos articulem e aprovem tal, sentimo-nos na obrigação de nos posicionarmos publicamente para dizer que somos terminantemente contra esse absurdo. Não se trata apenas de um posicionamento cristão ou dogmático. É sobretudo, um posicionamento humano e pela vida. Pois ninguém tem o direito a tirar a vida humana.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Bate Papo Cultural com Fábio Aiolfi

Fábio Aiolfi
Fábio Aiolfi nasceu no dia 11 de abril de 1988, na cidade de Aracruz, no estado do Espirito Santo. Começou a carreira como ator em 2005, participando de diversas obras teatrais. Ganhador de 5 prêmios nas áreas de Teatro e Literatura, Aiolfi faz parte da nova geração de artistas. Em 2010 lançou três livros: Entre o Amor e a Fogueira (Romance), O Silêncio do Pensamento (Poesias), Melissa e Roc-roc em busca do Era uma vez... (Teatro). Ainda neste ano se prepara para fazer sua estréia no cinema com o filme “Te amo, Lucas!” onde atua e assina o roteiro. É academico do ABLA (Academia Boituvense de Letras e Artes) ocupante da cadeira nº13. Também representa mundialmente o seu estado, como Cônsul do Poetas Del Mundo. É com essa pessoa dinâmica e carismática que falaremos em nosso Bate Papo Cultural.


Abimael Borges - Fábio, com que idade você começou se interessar por teatro e o que te levou a gostar de arte de modo geral?
Fábio Aiolfi – Desde pequeno eu queria ser artista! Cantava, dançava, interpretava, pintava, escrevia... Mas tudo em forma de brincadeira. Em 2004 comecei a escrever letras de músicas, e mais tarde, poesia. No ano seguinte eu entrei em um curso de teatro e não parei mais. Comecei a escrever espetáculos, romances, pintar telas...

AB - Como você dar vida aos seus personagens no teatro?
FA – No teatro, sempre fiz personagens caricatos, e acredite, meu laboratório eram pessoas de meu convívio (risos). Um trejeito, um bordão usado por pessoas. Arrumava um jeito de mesclar ao personagem. Gosto de estudar o texto, compor de verdade.

AB - Qual a diferença entre escrever e montar seus próprios textos e fazer montagens de textos de outros autores? São experiências distintas até que ponto?
FA – Um texto de uma Maria Clara Machado, não podemos tirar nenhuma vírgula. É aquilo, deve ser seguido. Já os meus sofrem modificação o tempo todo, pois eu estou ali, autorizando os atores a criarem, e ao mesmo tempo estou criando. Muitos acham errado que o texto sofra modificação. Mas a arte é criação o tempo todo. Uma curiosidade, eu não gosto de interpretar personagem que eu mesmo escrevi...

AB- Quais suas influências no mundo teatral?
FA- Gosto muito da Nathália Timberg, suas personagens são maravilhosas, já a vi nos três seguimentos: Teatro, TV e Cinema. É maravilhosa.

Noite de autógrafos
AB - Você é uma das pessoas mais lidas do site Recanto das Letras. Quando você começou a se interessar pela produção literária?
FA – Aos 10 escrevi meu primeiro poema, e minha avó adorou. Mas acabei por deixar esse lado esquecido. Em 2005, foi um ano de transformação, o Fábio para o Fábio Aiolfi (Risos). Li muito Paulo Coelho, Maria Clara Machado e Shakespeare. Três estilos diferentes. Comecei escrevendo infantis, e depois de cinco anos, estou me dedicando a livros e filmes.

AB - Das obras que você já publicou, qual é a mais significativa para você e por quê?
FA – “Entre o amor e a Fogueira” meu primeiro livro. É um romance, em uma história que gosto, em um tempo que adoro. Ele abriu as portas para um novo mundo.

AB- Que portas foram estas?
FA- Primeiramente a porta de minha alma, descobri através deste livro, pessoas, lugares, sentimentos, e agonia. Acho que a porta do conhecimento.


Fábio no papel de Lucas
 AB - Você acaba de escrever e produzir um curta-metragem. Como está sendo a experiência com o filme "Te amo, Lucas"?
FA – Escrever o “Te amo, Lucas!” foi engraçado. Estava em casa em um dos jogos do Brasil na copa de 2010. E do nada surgiu. Apresentei o roteiro a escritora Vilma Belfort, que incentivou-me a produzir. Ele ainda está sendo editado, mas já existe grande expectativa. Acredito que será o primeiro de muitos. É um filme bonito porque fala de amor.

AB- Suas produções literárias sempre falam de amor?
FA- Não sempre. Mas em sua maioria sim. Acho que o amor consegue transformar o mundo. E passar o meu amor por uma obra, é maravilhoso. Confesso que tenho uma queda por histórias românticas.

AB- O que seria a arte?
FA- Reinvenção! Reinvenção da vida, dos nossos sentimentos, da política, por exemplo. Não acho legal um que se diz artista, que só faz arte por fazer... Temos que sentir o nascer da arte, reinventando-nos primeiro, para depois ajudar as pessoas. A arte é a medicina da alma.

AB - Fale-nos dos seus planos futuros. Novos projetos em vista?
FA – O Futuro? Pretendo dedicar-me a promoção do filme, e de meus três livros publicados. Finalizar mais alguns livros, e voltar a produzir novos filmes. Já existem propostas para novos trabalhos cinematográficos, acho que 2011 será um ano de muitas novidades em minha carreira. Espero sempre compartilhar esses momentos com você, e com os seus leitores!

AB- Obrigado por esse bate papo, e muito sucesso na carreira!
FA- Eu que agradeço, por conversar sobre minhas produções com um profissional como você!


Então é isso. Quem quiser conhecer melhor ou entrar em contato com o Fábio Aiolfi visita o blog dele (http://oficialfabioaiolfi.blogspot.com/)

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Nós, os embriagados pela cultura.

Há tempos esses murmúrios zumbiam. Fervilhavam labaredas de criatividade como fogo ardendo no fundo do palheiro. Há tempos nossos corações ansiavam por ver e ouvir novidades íntimas que se derramassem como bálsamo nos corpos ressequidos pelo causticante sol da incipiência.

Agora surgem com fulgor vívido os filhos de Sátiro Dias, despontando no horizonte uma nova safra de escritores, artistas e leitores desejosos, famintos por cultura.

O amigo Charles reuniu todo mundo num caldeirão místico onde as vibrações criativas contagiavam uns e outros. Quando lá vi música, cinema, literatura, pintura, entre outras construções populares como reprensentantes de blocos, grupos culturais, “lembrei-me” daquela Semana de 22, em São Paulo, que ficou conhecida como Semana de Arte Moderna e revelou grandes talentos artísticos como Tacila do Amaral, Oswasdo de Andrade, Di Cavalcanti entre tantos outros que naqueles dias, revolucionaram a estética cultural do Brasil.

Um marco na cultura brasileira foi a Semana de 22 e um marco na cultura satirodiense foi o 1º Encontro dos Conterrâneos e Amigos de Sátiro Dias. Ficou claro que todo satirodiense tem algo a mostrar, e todos gostam de ver o novo. Esse burburinho de criação já está se refletindo no processo de ensino e aprendizagem do município, pois está dando significado à produção cultural do lugar. Agora todos sabem que no Encontro, reúnem-se as mentes mais brilhantes de Sátiro e claro que todos querem mostrar sua arte.

Bom saber que o filme vai ser visto, que o livro vai ser lido, que o quadro vai ser apreciado, que a música vai ser ouvida e enfim, que o artista terá seu trabalho divulgado, visualizado, compartilhado.

Outra coisa gostosa que aconteceu esses dias (10 e 11/09) foi a Mobilização Cultural em Sátiro Dias, promovida pela mestranda em Crítica Cultural, professora Cristiana Alves, com a participação de inúmeros artistas, professores da UNEB e diversos visitantes, com o objetivo de convocar os talentos artísticos de Sátiro, para o Forum Nacional de Crítica Cultural que acontecerá em novembro e sera realizado pelos pós-graduandos em Crítica Cultura da Universidade Estadual da Bahias – UNEB (Saiba mais em: http://www.forumdecriticacultural.com/ ).

A Mobilização Cultural foi um espaço onde mais uma vez foi possível ver trabalhos artísticos, principalmente literários, dos jovens escritores do junco. Um espaço de debate e proposições que instigou, fez pensar e abriu caminhos para as construções artísticas.

Sim, Sátiro Dias, nos teus poros exalam o perfume e o frescor da criatividade. E nós, teus filhos e apadrinhados, embriagados pela cultura, tomamos deste tão saboroso vinho em nos deleitamos e fazer sempre um pouco mais. Bravo!

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Luiz Eudes lança Noite de Festa

Luiz Eudes

Luiz Eudes é um escritor premiado no universo cibernético, com textos publicados em sites e jornais, com alguns prêmios na bagagem; participa das antologias Palavras para o Coração, Melhores Contos de Natal, Filhos da Luz,  O que é que a Bahia Tem?, Contos para Viagens, entre outras. É autor do e-bock a Curva e a Montanha, também dos livros de contos A Marcha da Vida em co-autoria com Allan Oliveira, e dos  Os Sabores e os Amores e Noite de Festa.

Vaitsa, Sheila, Luiz e Valdecy
Abimael Borges - Luiz, lançar seu livro no 1º Encontro de Conterrâneos e Amigos de Sátiro Dias, foi gratificante?
Luiz Eudes - Sem dúvidas. Foi um evento de suma importância para a fortificação do movimento cultural satirodiense. E gratificante mesmo foi ver todas aquelas pessoas lá ávidas por presenciar in loco mostras dos artistas da terra. Música, artes plásticas, literatura, mostra de cinema. Foi muito legal.

AB - Seu livro, Noite de Festa, é uma coletânea de contos que ocorrem em Sátiro Dias, o velho Junco ainda lhe é uma fonte de inspiração?
LE - O Junco é o meu lugar. Imaginário sim, é verdade e que vem se tornando real. Real até demais. O junco somos nós, eu e você, paisagem na janela, tempos idos e vividos embora sempre presente na esperança de um futuro, ainda que próximo ou não, melhor do que o presente que está muito bom.

AB - Ainda é muito pouco o gosto pela literatura por parte da maioria das pessoas no Brasil. É um desafio muito grande escrever dentro da perspectiva de ser pouco lido?
LE - É verdade. Em referência a Argentina e Chile nós estamos muito aquém. Entretanto tenho observado o surgimento de uma nova safra de leitores, principalmente entre jovens. Meus textos tem sido muito lidos por adolescentes e jovens nos sites. Recebo e-mails de pessoas de todo o país tecendo comentários e sempre positivos. O livro Noite de Festa tem sido bem aceito. Não é o que eu desejo para literatura mas está crescente o hábito da leitura. É preciso levar em consideração que é dificil concorrer com a internet, a TV e o rádio.

AB - Como surgiu a ideia de escrever Noite de Festa e o que você pretende transmitir na essência do mesmo?
LE - Rapaz, estes contos vem me perseguindo há algum tempo. Tenho publicado em sites e jornais. Ganhei alguns prêmios, participei de antologias e enfim pude fazer uma tarde de autografos bonita junto com os leitores da minha terra em um encontro de satirodienses.

AB - O que você tem a dizer sobre a nova safra de escritores satirodiense?
LE - Sátiro Dias é um celeiro de artistas. Cara, é impressionante a quantidade de pessoas que escrevem aqui e bem. Eu gosto particularmente dos textos de Cristiane Alves e dos poemas de Abimael Borges. Mas há muita gente boa por aqui. Penso em organizar uma antologia com os escritores satirodienses.

AB - Fale-nos dos seus planos futuros como escritor.
LE - Ler bastante. Algumas pessoas me questionam a respeito de inspirações, não as tenho, porém busco inspiração nos meus amigos Antonio Torres e Aleilton Fonsêca, excelentes escritores e melhores ainda como amigos. E vou continuar a escrever sempre. Estou com um novo livro de contos em andamento, trabalhando para o próximo encontro de satirodienses. E estou também tentando escrever um romance. Espero ter leitores para estes livros e que gostem tanto do que eu escrevo como eu de escrever.

Abimael Borges e Luiz Eudes

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Abimael Borges no 1º Encontro de Conterrâneos e Amigos de Sátiro Dias

Sábado, dia 21/08, participei do 1º Encotro de Conterrâneos e Amigos de Sátiro Dias, que ocorreu no Empório Arvoredo, em Salvador. Uma iniciativa do amigo Charles, que brilhantemente levou a sério o desafio de realizar esse encontro.
Lá estiveram presente as principais figuras da pequena cidade do Junco, tanto do cenário político quanto do cultural. Admiravel foi a empatia e a imparcialidade dos presentes, já que é costume (precário e retrogrado) em alguns momentos se manter a divisória política nesse região. Que bom. É um passo em direção ao fim do radicalismo e intolerância pseudo-política que vem reinado há tempos. A festa fez jus ao seu propósito: INTEGRAÇÃO.
Entre as figuras devo destacar a primeira dama Vaítsa Cardoso, os empresários Antônio Carlos, Marivaldo Alves, o ex-prefeito Robério, os escritores Luiz Eudes e Cristiana Alves, os artistas plásticos Paulo, Neto Torres e a artísta plastica mirim, Sarah Catherine, revelação do evento, o realizador do projeto Por Trás das Lentes, Herval Santanta, o cantor Messias,  entre outros.


Dia 21 foi meu aniversário, os parabéns não podiam faltar:

Enfim, foi um dia e um evento muito legal.

Até

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Faça aqui tua pesquisa!