domingo, 31 de julho de 2011

"O Brasil é um Estado fraco"

Nas palavras do Juiz Federal Odilon de Oliveira, em entrevista cedida à série de reportagem da TV Record "MACONHA - Os Barões do Tráfico" (2009), “... o crime organizado está com seus tentáculos na administração pública. O crime organizado está ancorado nos três poderes há muito tempo. O Brasil não é um Estado forte, nunca foi, no combate ao crime organizado. O Brasil é um Estado fraco ...”. É possível entender o tamanho da indignação desse homem que tem em seu currículum ordens de prisão para mais de 100 grandes traficantes do Brasil e do extrerior (que atuam no Brasil). Homem que vive rodeado de seguranças numa espécie de prisão domiciliar, a fim de se proteger das diversas ameaças que recebe por enfrentar, corajosamente, o crime organizado.
Quando falamos em crime organizado, pensamos logo em organismos criminosos como o PCC - Primeiro Comando da Capital ou do CV - Comando Vermelho, que paradoxalmente, ostentam a bandeira de luta contra "opressão" pela paz, justiça e liberdade. Mas estes organismos jamais teriam força para sobreviver em um país onde a corrupção não fosse o pior dos males, tendo em vista que ela é quem gera a pobresa e a desigualdade social, favorecendo o crescimento de organizações paralelas.
Não, nem PCC, nem CV. O crime está organizado e institucionalizado dentro dos três poderes, mas seu ápice está dentro da política. Conta-se às centenas os casos de escândalos dentro do senado e das câmaras estaduais e federal, sem falar nas prefeituras e câmaras de vereadores dos municípios, todas impregnados de gente corrupta favorecidas por uma lei conivente, cheia de brechas para permitir os desvios de conduta. Para exemplificar, se é preciso, vejamos os escândalos de mensalões dos partidos políticos no Congresso Nacional e Distrito Federal, vendas de sentenças nos Tribunais de Justiça dos Estados, desvios de dinheiro através de ONG’s, Vereadores que recebem contribuições mensais de Prefeitos para votações, lobistas circulando por todos os gabinetes ou palácios de chefes do executivo, sem falar nas milícias formadas por bandidos e policiais que criaram no Rio de Janeiro um Estado dentro do próprio Estado.Precisamos urgente de uma reforma judiciária que acabe de vez com as regalias de suas excelências. Precisamos acabar, primeiro, com a facilidade que suas excelências tem em criar leis que os beneficiam em detrimento do bem comum, como é o caso das aprovações de aumento salarial nas caladas da noite. Vamos acabar com a legislatura de causas próprias.
Na verdade precisamos atacar os pontos fracos deste país que o torna um fértil berçário para os aproveitadores. A pouca vergonha na esfera pública tem que se acabar. Moralidade já! Precisamos de mais Odilon de Oliveira no Brasil!

terça-feira, 26 de julho de 2011

Você Sabe Que Eu Não Presto

Amy Winehouse sempre me surpreendeu por sua autenticidade e genialidade musical, mas também por sua displicência consigo mesma e sua rebeldia frente aos jornalistas. Comecei a conhecer seu talento em 2005, quando ela ainda fazia divulgação do seu primeiro álbum, Frank, que foi lançando em 2003, seu sucesso veio mesmo com o álbum Back to Black, lançado em 2007, onde ela dizia You know i'm no good (Você sabe que eu não presto), na verdade acho que esse corpo não suportava tanto talento, uma mulher magnífica nos seus feitos enquanto artista, mas com uma vida muito conturbada. Havia nela de tudo um pouco, mas pra mim vai ficar marcado mesmo o talento estrondoso de Amy, vou ouvir sempre com a mesma paixão. 

A todos uma ótima semana, vamos curtir You know i'm no good e viver um pouco mais de Amy Winehouse:

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Sátiro Dias contra as drogas!

A Secretaria Municipal de Educação de Sátiro Dias em parceria com  4º BPM da Bahia, formou nesta quinta-feira, 21, crianças e adolescentes que participaram do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência - PROERD.
As drogas estão presentes em quase 100% dos municípios brasileiros, inclusive nas cidades com menos de 20 mil habitantes e na zona rural. Com ela, a violência e o medo se espalha pela cidade. O objetivo do PROERD é sensibilizar as crianças, preparando-as para resistirem ao tráfico bem como ao uso de substâncias entorpecentes que causem dependencia química ou psíquica.
Depois de tantos problemas com a violência e de ficar clara a vulnerabilidade de nossas crianças, a Prefeitura de Sátiro Dias tomou o rumo certo: proteger nossas crianças através do conhecimento. Essa possibilidade acontece quando se une educação com segurança pública e pode ainda ser ampliada se unirmos a isso a Saúde, a Cultura e o Esporte.
É este tipo de ação positiva que esperamos do poder público! Uma polícia cidadã, que esta vendo a saida consistente para o problema das drogas e da violência na educação, pois é mais fácil e barato sensibilizar uma criança através da educação do que corrigir um adulto mal intensionado. Uma polícia que encherga seu papel anterior à repressão, seu papel preventivo, educativo, formativo de uma sociedade mais dígna, humana e promissora.
Torcemos pela continuidade dessas ações acreditando que neste caminho, teremos um dia, uma cidade que se orgulhe de estar livre da violência.

SAIBA MAIS SOBRE O PANORAMA NACIONAL DO ENFRENTAMENTO AO CRACK

A Confederação Nacional de Municípios - CNM, divulgou dados preocupantes sobre a expanção do crack no Brasil. Esta se falando de uma epidemia nacional. A pesquisa feita com 3.950 cidades mostrou que 98% estão tomadas pelo crack.
Conforme o estudo, até agora, apenas 3,39% das cidades brasileiras fizeram convênio com o governo federal para conseguir recursos do Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas, lançado em maio. Em São Paulo, foram ainda menos: 2,50%. A CNM alega que o plano limitou o acesso dos municípios às ações ao estabelecer como requisito para os beneficiários uma população acima de 20 mil habitantes.
O estudo conclui que uma das grandes dificuldades apresentadas é o financiamento das ações, que tem persistido em forma de subfinanciamentos em todos os programas ou políticas de governo. Apenas 24,6% recebem auxílio financeiro do governo federal, 13,8% do estadual e 3,6% de outras instituições. A maior parte dos municípios que já estão com o plano contra o crack em execução utiliza recursos próprios para enfrentar o problema, totalizando 62,4%.
A Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas (Senad) rebateu as críticas, alegando que dos R$ 410 milhões previstos para o plano neste ano, R$ 285 milhões estão sendo executados. Já teriam sido destinados pela Senad R$ 73 milhões para a abertura de leitos em hospitais e comunidades terapêuticas, criação de Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASFs) e capacitação de agentes que atuam na rede de atendimento ao usuário de droga, entre outras ações. 'Na verdade, o plano vem tendo uma implementação extremamente positiva e uma execução satisfatória', afirmou a secretária-adjunta da Senad, Paulina Duarte.
Paulina classificou como 'temerário' o dado de que 98% dos municípios brasileiros enfrentam problemas com crack. 'Se nós fizermos um estudo epidemiológico, não vamos encontrar nenhum município sem caso, agora há lugares com consumo maior, outros menores', argumentou. Segundo ela, os municípios com menos de 20 mil habitantes foram contemplados em editais e liberações de verbas pontuais - ao contrário do que diz a CNM.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Muito prazer, meu nome é otário...

A composição de Humberto Gessinger e Paulo Gauvão, que leva o nome e se inspira na obra de Miguel de Cervantes, o famoso Dom Quixote, é uma obra prima da musica brasileira, principalmente pela reflexão que nos trás. Há momentos que a gente tem a vontade de se apresentar outra vez para certas pessoas e dizer: muito prazer, meu nome é otário, ao seu dispor.

Estréia o filme Assalto ao Banco Central

Dia 22 de Julho estréia o filme Assalto ao Banco Central. O filme é uma obra de ficção, inspirada no maior roubo a banco do século. Envolvendo desde a preparação da quadrilha aos bastidores da investigação da polícia federal.

Em Agosto de 2005 a quantia de 164.7 milhões de reais foram roubados do Banco Central em Fortaleza, Ceará.

Sem dar um único tiro, sem disparar um alarme, os bandidos entraram e saíram por um túnel de 84 metros cavado sob o cofre, carregando 3 toneladas de dinheiro. Foram mais de três meses de operação. Milhares de reais foram gastos no planejamento.

Foi um dos crimes mais sofisticados e bem planejados que já se teve notícia no Brasil.

Quem eram essas pessoas?

E o que aconteceu com elas depois?

São as perguntas que todo o Brasil se faz desde então.

Se não as respostas verdadeira, pelo menos no campo da ficção, teremos uma noção de como foi todo esse esquema. Apesar da pouca divulgação, o filme esta sendo esperado por milhares de espectadores.

FICHA TÉCNICA DO FILME

Estrelando MILHEM CORTAZ, ERIBERTO LEÃO, HERMILA GUEDES com LIMA DUARTE como Delegado Amorim, TONICO PEREIRA, GERO CAMILO, VINÍCIUS DE OLIVEIRA, HEITOR MARTINEZ, CADU FÁVERO, FABIO LAGO, JULIANO CAZARRÉ, CREO KELLAB

Participação Especial GIULIA GAM, CASSIO GABUS MENDES, ANTONIO ABUJAMRA e MILTON GONÇALVES
Direção de Fotografia JOSÉ ROBERTO ELIEZER, ABC

Direção de Arte ALEXANDRE MEYER

Figurino MARÍLIA CARNEIRO e ANTONIO ARAUJO

Preparadora de Elenco FÁTIMA TOLEDO

Maquiagem MARLENE MOURA

Montagem FELIPE LACERDA

Mixagem FILMOSONIDO

Som Direto ZEZÉ D’ALICE

Edição de Som MARIA MURICY

Trilha Sonora ANDRÉ MORAES

Canções Tema ANDRÉ MORAES e CHRIS PITMAN

Produção de Elenco ANTONIA FONTENELLE

Argumento ANTONIA FONTENELLE

Roteiro RENÊ BELMONTE

Colaboração LÚCIO MANFREDI

Produtora Delegada MARIÂNGELA FURTADO

Produção Executiva MARCOS DIDONET, VILMA LUSTOSA e
WALKIRIA BARBOSA

Co-produção FOX INTERNATIONAL PRODUCTIONS, GLOBO FILMES e TELECINE
Uma Produção TOTAL ENTERTAINMENT
Distribuição FOX FILM DO BRASIL

Produtores MARCOS DIDONET, VILMA LUSTOSA e WALKIRIA BARBOSA

Direção MARCOS PAULO

quinta-feira, 14 de julho de 2011

2º Encontro de Conterrâneos e Amigos de Sátiro Dias

          A oportunidade de congraçamento dos conterrâneos e amigos de Sátiro Dias na capital da Bahia já é um dos eventos sociais mais esperados do ano para o povo do velho Junco. O sucesso do ano passado vai se repetir em dobro em 2011. Se depender da força de vontade do organizador Charles Cruz e de seus colaboradores, estaremos vevenciando um momento ímpar na história de Sátiro Dias. Fomos conversar com Charles para saber os principais desafios e expectativas dessa segunda edição do ECA.

Abimael Borges - Como você está sentindo a expectativa do pessoal para o 2º ECA?
Charles Cruz - Percebo que as pessoas estão ansiosas, esperando chegar o grande momento do encontro e reencontro e acompanhar de perto as novidades.

AB - Quais as principais novidades desse ano?
CC - Uma das novidades é a transmissão do evento em tempo real para todo o planeta. As outras novidades as pessoas conferirão no dia da festa.

AB - Como está a sua expectatica para a realização do evento?
CC - A expectativa de nossa equipe é maior que a do 1º ECA, uma vez que o evento cresceu e ganhou credibilidade perante a sociedade. Logo, o 2º ECA exige muita responsabilidade e competência.

AB - Quais os desafios que está enfrentando para a organização do ECA esse ano?
CC - Um deles é a questão do patrocínio. Até o momento contamos com menos patrocínio que o 1º ECA. É preciso que o poder público e a sociedade civil, como um todo, reconheçam a importância de um evento desse porte que leva a cultura satirodiense além de seu limite municipal.
A receita bruta das vendas das camisas não cobre os custos do evento, portanto, seja  um dos patrocinadores e acredite que é possível realizar uma festa de integração.

Ao microfone Charles Cruz, idealizador do projeto, e artistas.

           Para a professora Cristiana Alves, que participou da primeira edição, o 2º Encontro dos Conterrâneos e Amigos de Sátiro Dias em Salvador, representa:


1º Uma continuidade do desejo dos agentes culturais e artistas de Sátiro Dias de ter um espaço no qual a produção artisticocultural promova integração entre pessoas através das artes;

Cristiana Alves e Abimael Borges
2º Representa o esforço pessoal, do jovem Charles Cruz, em organizar um espaço que propicie a sociedade civil de Sátiro Dias a visibilizar os talentos de seus artistas, pois tendo o município, grande potencial em diversos estilos artísticos é necessário visibilidade;

3º Representa um chamado de atenção ao Poder Público para que pense a Arte e a Cultura como possibilidades de atividade de sustentabilidade e invista no talento de seus munícipes;

4º Representa um incentivo a artistas a continuarem produzindo suas atividades e buscarem espaços além dos limites locais para exporem sua produtividade;

5º Representa ainda a possibilidade de continuação de um projeto de inclusão através das artes, que se inicia no espaço local de Sátiro Dias porém, não se limita ao seu território geográfico, é marca do mundo globalizado que quebra as fronteiras entre o local e o global.


Sheila Vieira recebe autógrafo de Luiz Eudes
O escritor Luiz Eudes, que tembém engrandeceu o evento com sua presença na primeira edição, destaca: "Este evento é de suma importância para o aprofundamento cultural dos artistas satirodienses. A visibilidade do encontro é extraordinária. Porém, do ponto de vista geral este não é o foco principal, que na verdade é o do congraçamento, do encontro, da alegria e da festa. A festa do povo de Sátiro Dias em Salvador. Estarei lá em mais esta edição e indico como um grande acontecimento." convida.

sábado, 9 de julho de 2011

Férias! Eeeeeeeehhhhh!!!

De férias da faculdade, to aproveitando para atualizar mais o blog. Estive pensando em mudar o estilo. Não sei como, mas tenho algumas ideias novas fervil
hando em minha cabeça. Vou tentar colocá-las em prática. To pensando deixar o blog bem mais pessoal, menos politizado, mais descontraído. O que acham?
Vou passar a falar mais de mim, como se um diário o blog fosse, mas não é mesmo esse o objetivo dos blogs? Claro que não vou deixar de dar minhas opiniões e colocar toda a diversidade de coisas que eu venho colocando já há tanto tempo. Mas to cansado dessa cara séria do blog... então, se tiverem alguma sugestão, me ajudem.
Sim, estava dizendo que estou de férias, mas infelizmente não tive férias do trabalho, a labuta continua... então não vou postar aqui uma matéria tipo "Minha viagem de férias", pois minhas viagens serão aqui mesmo no blog...
Agora vou ali, me arrumar pra dormir...
Bom final de semana a todos e todas!

quinta-feira, 7 de julho de 2011

O melhor gorverno é aquele que absolutamente não governa...

       O pai da anarquia não poderia prever um tempo em que o povo além de se submeter ao “absurdo” de ser governado, como ele dizia, teria um governo preocupado com a subsistência do poder, legisladores de causas próprias, que a exemplo da destruição em massa de Bíblias pela igreja em antigos tempos, a fim de limitar o conhecimento das Sagradas Letras ao clero, prima pela ignorância no intuito de ocultar a verdade, criando um cenário de falsa paz e bem-estar social. Bom, Henry já esperava isso, mas se visse na prática, ficaria estarrecido.
         Henry David Thoreau, inicia seu livro "A Desobediência Civil" com essa pérola: "O melhor governo é aquele que não governa", Henry concorda e dá suas razões, eu concordo em partes, minha objeção é quanto à filosofia do anarquismo, pois acredito no governo democrático, no Estado de Direitos, precisamos nos governar, estabelecer as regras e as condições que melhor se aplique à maioria, mas como vemos a inversão perversa na interpretação e na atuação dos atuais governos, vivemos submetidos à desonra, como diria David, dos caprichos egoístas dos poderosos.
         Subestimamos a capacidade dos coronéis de se transformarem. Hoje ganham forma de mandatários legítimos e tem o apoio de um povo compassivo com suas atitudes vis.  Eles agem como se o povo fosse sua propriedade. Impõe um terror psicológico a que todos se submetem. Ninguém viu, ninguém ouviu, ninguém diz nada. Subestimam a inteligência alheia, pisam sobre ela, esmagam os que se destacam. É histórico, lembram-se de Antônio Conselheiro? De certa forma ele se encaixa perfeitamente no tipo dos revoltosos que não aceitaram se submeter ao governo e suas danações. O governo então o suprimiu. Ele não foi o único a ser suprimido pelo governo, por que aliás, a voz do povo, para o governo, é a voz do diabo e não de Deus.
          Quero lembrar novamente que Henry é considerado o pai da anarquia, eu não sou anarquista, longe de mim, mas fato é que vivemos numa anarquia inversa. É que, em vez de nos governarmos através de nossos representantes (o que não seria anarquia), somos submetidos às decisões imperiosas de certos grupos poderosos. Não somos nós, portanto, que não queremos um governo, é o governo que não nos quer. Assim temos um governo sem povo, que age para maquiar a realidade e um povo que tem a mera ilusão de governar, a ilusão de saciedade de suas necessidades básicas.
            Segurança pública, por exemplo, todos ao ver uma viatura nas ruas pensam que estão seguros. Não estão. Não existem policiais suficientes, e estes não dispõe dos recursos táticos necessários ao bom desempenho da função e ainda se tivessem estes, com os parcos salários que recebem, que os renega a levarem uma vida miserável, tornam-se, muitos deles, presas fáceis da corrupção que, por sinal, a própria sociedade impõe quando subornam os pobres servos do Estado. Fato é que a falta de segurança serve muito aos interesses governamentais, senão vejamos: fazem uma festa quando uma viatura nova chega ao município, propagandas e mais propagandas quando se inaugura um módulo policial novo, e o povo, atordoado pela cegueira burra, aplaude velozmente o governo. Mas a verdade é que o governo não está preocupado com a origem da violência e com o real combate ao crime e o povão está sendo educada para acreditar que é tudo normal. É a vida! É o mundo!
     Preciso acrescentar, quanto à ilusão de segurança, que a máquina judiciária é uma zona organizacional e o acesso a ela é uma saga sem final. É uma divisão ilógica, ninguém sabe onde fica o fórum certo para se dar entrada numa ação, exceto os operadores da justiça, como se o acesso a ela tivesse que ser restrito aos conhecimentos técnicos de poucos. A tal da competência, confunde a cabeça de todos e nessa salada de frutas com jiló pelo meio o cidadão é quem sobra mais perdido que cego em tiroteio. Esse é o sistema maravilhoso, criado para amarrar os pés e as mãos de quem dele precisa; esse é o governo que renega seus cidadãos aos caprichos da burocracia burra. E todo mundo engole, pois preferem isso a ser engolido por esse velho obeso que é o governo.
            Pensei em falar agora sobre educação, a educação é o demônio para o governo. Povo instruído é ameaçador, ler é extremamente perigoso, pois se descobre os podres nos bastidores do poder. Imagina um povo que sabe o que é O Contrato Social, livro de Jean Jacques Rousseau e aprendem com ele que a sociedade é capaz de se transformar, que o homem é senhor de si mesmo e tantas outras possibilidades do potencial humano? É melhor deixar que os estudantes achem que estão estudando. A educação no Brasil vem mal desde o Império. Nunca se valorizou o ensino. Há um medo esdrúxulo de que o povo fique sabido. A escola pública do pais é uma falácia, os testes que o Mec produz para medir o ensino segue padrões estabelecidos pelo próprio sistema, o que o torna perfeito para refletir o que o governo quer e não a realidade. Entretanto ainda restará provado que o ensino é feito à toque de caixa. É medíocre, definitivamente mediocre o ensino básico público no Brasil. Os alunos saem do Ensino Médio sem saber escrever ou calcular corretamente. Depois, com 40% da prova do ENEM, ganham uma bolsa no proúni para fazer um curso superior em uma faculdade igualmente medíocre. O governo incentiva as escolas técnicas chamando atenção para o tão desejado crescimento econômico do país, e com isso forma uma leva de cidadãos operários, que não pensam, que não pesquisam, que não produzem conhecimento e nem progresso científico. Por fim, resta dizer que o dicionário classifica anarquia como desordem, desorganização, falta de governo e tal, mas me respondam, quem foi que ensinou essas coisas ao dicionário? Ou vocês acham que ele não tem um propósito governamental em suas entrelinhas? Anarquia poderia significar, por exemplo, autogoverno, autogestão, responsabilidade pessoal, igualdade, liberdade. Mas quem manda na história é quem está no poder e o poder gosta da ignorância das massas para se perpetuar.
         Governar é uma coisa que dá muito trabalho. Melhor mesmo é fazer todo mundo acreditar na algazarra do governo, na folia da administração, no perfil barato de um homem trabalhador, na quase farsa da incorruptibilidade, na boa intenção da qual se enche o inferno, e noutras tantas formas de ludibriar a consciência coletiva. Fazer um governo sólido e pautado no cumprimento da lei, função primária do Estado, e na aplicação do direito, atendendo às exigências da sociedade quanto à garantia dos direitos fundamentais, é coisa trabalhosa que até hoje, nenhum, absolutamente nenhum governo se propôs a fazer.
           Não vamos culpar os governos pelas mazelas da sociedade. Afinal o governo em nossa concepção, emana do povo. Democracia pressupõe que um governo só age de acordo com aquilo que o povo permite. Então se existem governos que descaradamente age impropriamente, ilegitimamente, como diz na linguagem jurídica, age com improbidade, é por que o povo permite com a omissão, com a falta de atitude. Assim sendo, tem razão Henry quando diz que o povo conscientemente se deixa enganar.
           Enfim, minha gente, já falei muito por hoje. Tenho absoluta certeza que uma ou duas pessoas chegarão a este parágrafo, como você é um, deixa um comentário a baixo para eu ver quantos chegaram até aqui, porque todos fomos ensinados indiretamente que lê é uma atividade enfadonha, afinal quem lê consegue enchergar as burrices do governo e saber que esse sistema é um vampiro vil e detestável. Viva o Estado Democrático de Direitos! Que nós estamos longe de ter!
             

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Indique meu blog ao TOPBLOG 2011

O meu blog, http://abimaelborges.blogspot.com, está participando do Top Blog Prêmio, que é um sistema interativo de incentivo cultural criado no ano de 2008 pela Insere Comunicação Web Ltda em parceria com a  MIX Mídia Digital (Doravante denominada TOPBLOG), destinado a reconhecer e premiar, mediante a votação popular e acadêmica (Júri acadêmico TOPBLOG), os Blogs Brasileiros mais populares, que possuam a maior parte de seu conteúdo focado para o público brasileiro, com melhor apresentação técnica específica a cada grupo e categoria.

O objetivo do Top Blog Prêmio é promover, divulgar e patrocinar a iniciativa dos proprietários de blogs que interagem socialmente pela rede internet com finalidade de compartilhar seus conhecimentos, idéias, experiências e perspectivas, contribuindo solidariamente com o desenvolvimento social e cultural do País.

Conto com seu voto! Para votar clique no banner da promoção no lado esquerdo do blog ou clique aqui. Obrigado!

domingo, 3 de julho de 2011

Na poltrona para ouvir: Bruno Mars...

Eu hoje to meio romântico, essa música do Bruno Mars não me sai da cabeça, Talking To The Moon, letra leve, rítimo envolvente, gostosa de ouvir e boa (de matar) quem estar amando à distância.  
Seu nome de batismo é Peter Hernandez, só que é mais conhecido por Bruno Mars, ele nasceu em 8 de outubro de 1985 em Waikiki no Havaí, com ascendência filipina e porto-riquenha. É cantor, compositor e produtor musical. É conhecido por suas participações nas músicas Nothin' on You de B.o.B e Billionaire de Travie McCoy. Ele também co-escreveu a música Right Round de Flo Rida, e Wavin' Flag de K'naan. Em 2010, lançou o seu primeiro single de carreira solo, entitulado de Just the Way You Are.
Então, quem tiver uma bada-larga melhorzinha (a minha é só palpérrimos 600kps), pode curtir, o cara mandou bem. Boa semana a todos. Segue o vídeo:


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Faça aqui tua pesquisa!