terça-feira, 21 de outubro de 2014

Dilma é desmascarada em mais uma mentira


O Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais já havia desmentido as acusações feitas pela presidente-candidata Dilma Rousseff (PT) no debate do SBT sobre os gastos de Saúde da gestão de Aécio Neves (PSDB). Diferentemente do que ela dizia, todas as contas foram aprovadas pelo TCE por unanimidade. Mas o marqueteiro de Dilma, João Santana, quis insistir na mentira, de modo que a presidente leu no debate da Record a seguinte frase do ex-conselheiro do TCE Sylo Costa, celebrada nos blogs sujos do PT com entusiasmo equino: 

“É duro engolir que vacina para cavalo seja contabilizada como gasto em saúde.”

A frase está na página 14 da ata da sessão de 30 de junho de 2005 para apreciação do Balanço Geral do Estado referente ao exercício de 2004. Sylo Costa foi o relator. O documento está aqui.
João Santana foi longe para buscar esse ataque contra Aécio. E obviamente não se importou com os fatos e o contexto, porque investir na confusão é o seu trabalho.

Mas a verdade é a seguinte:

O governo de Minas mantém uma fazenda experimental, onde são criados 129 equinos. Neles, é inoculado veneno de animais peçonhentos para a produção de soro para seres humanos, o que é feito pela Fundação Ezequiel Dias (Funed), a fábrica de remédios do governo de Minas, em parceria com o Ministério da Saúde.
Que sem as vacinas para cavalos a produção do soro fica comprometida, não resta dúvida, como se vê abaixo pela nota de esclarecimento da Funed.
Obviamente, é compreensível que se discuta em uma sessão extraordinária do TCE mineiro se o gasto com as vacinas para cavalos pertencem à área da Saúde, ou deveriam pertencer a alguma outra. Quem levantou a questão, repito, foi um conselheiro, não um especialista da área médica. Para ele, que dirá para os telespectadores do debate da Record, soou estranha a inclusão de vacina de animais naquela pasta. Desonestidade intelectual é tirar a frase do contexto de uma discussão local sem maiores consequências para atirá-la contra um adversário para fins eleitoreiros.
A colocação da presidente, especialmente perversa com os pacientes que precisam de soro em todo o Brasil, foi feita para dar a impressão de que Aécio fazia gastos supérfluos em seu governo, ou mesmo de que desviava o dinheiro público, como fazem os petistas na Petrobras, incluindo o sr. Vaccari, que Dilma nomeou e mantém no cargo em Itaipu Binacional mesmo após as denúncias de corrupção.

Já passou da hora de o Brasil se vacinar contra os embustes dessa gente.

NOTA DE ESCLARECIMENTO DA FUNED:

Em relação à contestação da candidata do Partido dos Trabalhadores no debate realizado na Rede Record no último dia 19 de outubro, que questionou a inclusão de despesas com Vacina para Equinos como gasto em Saúde, conforme teria sido apontado por um Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, esclarecemos que:
A Fundação Ezequiel Dias é um dos 04 (quatro) produtores nacionais de soros antitóxicos. Atualmente, toda a produção de soros do país passa em algum momento pela FUNED, através de um processo de produção compartilhada entre os laboratórios oficiais, autorizado pela ANVISA; Para cumprir com esta importante missão, mantém uma Fazenda Experimental em Betim, onde são criados 129 equinos (número atual). O processo de produção dos soros inicia-se na extração do veneno dos animais peçonhentos e, posterior, inoculação nos cavalos para produção de anticorpos.
Posteriormente, parte do plasma destes animais é extraído e processado, de modo a gerar o produto final (soro).
Mensalmente são produzidos 1.200 litros de plasma, possibilitando uma produção anual exclusiva da FUNED de cerca de 150.000 doses/ano.
Em função da manutenção da qualidade dos produtos, a FUNED mantém um programa profilático e vacina todos os equinos da Fazenda São Judas Tadeu com a vacina tríplice.
Esta vacina protege contra Influenza Equina, Encefalomielite Equina e Tétano. A recomendação técnica preconiza a revacinação de todo o rebanho anualmente.
Sendo assim, a vacinação em questão É ESSENCIAL para a geração de um produto de saúde, sendo portanto compreendida como gasto em saúde.
A afirmação feita pela candidata é infeliz, pois demonstra ou um uso inadequado da informação para fins eleitorais ou um desconhecimento do Sistema Nacional de Saúde, em especial de um processo tão crítico para o país, para o qual a FUNED, um laboratório de Minas Gerais, tem sido o grande parceiro estratégico do Ministério.
Cabe ressaltar que é devido a atuação da FUNED na produção compartilhada que está sendo possível a manutenção dos estoques e a garantia do sucesso do Programa Nacional de Imunização e da saúde da população brasileira.
__________________
Por Felipe Moura Brsil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar este tópico.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Faça aqui tua pesquisa!