sábado, 11 de outubro de 2014

A DEGENERAÇÃO DE PRETENSAS "LIDERANÇAS": MST, MTSC ETC.

por Juan I. Koffler Anazco*

José Rainha, líder extremista do MST, ao lado de João Pedro Stédile, o chefão desse movimento, têm ambos se manifestado de maneira virulenta e ostensivamente agressiva, ameaçando a estabilidade do país, caso o candidato à presidência, Aécio Neves, saísse vitorioso no segundo turno do corrente pleito eleitoral, no próximo dia 26 de outubro. A afirmação em tom de ameaça foi algo como: "Se o Aécio ganhar, haverá guerra!".
Ora! Que petulância, que caradurismo, que grosseria criminosa contra a nação! Em qualquer outro país minimamente mais decente, quem proferisse uma ameaça à segurança nacional nesse tom ostensivamente ameaçador, já estaria a ferros e incomunicável pelos órgãos de Segurança Nacional. Afinal, dita frase representa um ultimato grosseiro e hostil a toda a sociedade brasileira, impondo resposta imediata e dura do Estado no sentido de retirar o ameaçador do seio social, trancafiá-lo e investigar até que ponto sua ousadia se mostra exequível. Afinal, ninguém sabe o que vai na cabeça de um celerado qualquer que "sente-se" no direito de colocar em xeque toda uma nação. Mas no Brasil de hoje (e de há 12 anos), sob a batuta ditatorial comuno-petista, tudo pode. Os poderes constituídos são verdadeiros reféns desse grupelho irresponsável, mentiroso e criminoso que obra contra a pátria e que, em épocas outras (contrarrevolução de 64), conseguimos extirpar do nosso meio. Voltaram, carregados de ressentimentos, de ódio insano, de desejos de vingança só cabíveis em mentes enfermas, incuráveis.
O pior de tudo isso é que, graças à inoperância e leniência dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário - reféns desse grupelho e infestados de membros parasitas que o entorpecem -, indivíduos como esses (Rainha, Stédile e até o próprio "cacique" dessa tropa, o boquirroto e alienado Lula da Silva), abusando criminosamente da liberdade de expressão, vestem a capa virulenta comum ao mais desprezível marginal que, de posse de uma arma poderosíssima (a máquina estatal), põe em xeque toda uma sociedade. Que país é este em que vivemos? Onde estão os estoicos defensores da pátria? Que pretende esse grupelho de celerados, irracionais, rastejantes na contramão da história, para assumir, ostensivamente, o odioso papel de verdugo da nossa sociedade, ordeira e trabalhadora? Não me digam que foi "o povo" que lhes deu chancela para tão asquerosa postura, através do voto, porque isto seria simplesmente risível, se não fosse altamente trágico. Nosso povo não sabe votar, rege-se por puros interesses individuais ou, no máximo, grupais, mas nunca pelo amor cívico e patriótico, pelo comprometimento em prol de um país continental, recheado de riquezas e de características que o fazem ser diferenciado, paradisíaco, mas que, lenta e persistentemente, está sendo exaurido pela gana assassina desses detratores e destruidores da pátria.
Se o candidato Aécio Neves vencer o pleito, já sabemos a quem deveremos responsabilizar por qualquer perturbação da ordem pública: José Rainha, João Stédile, Lula da Silva, e seguidores. Afinal, eles declararam guerra antecipadamente, ameaçando a pátria caso não fossem eles a vencerem nas urnas. Portanto, são réus confessos que premeditaram seus crimes, caso a sociedade lhes negasse o continuísmo no poder. Obraram com dolo, com ostensiva intenção de lesar, de destruir, de ferir de morte toda uma nação. São, destarte, crimes inafiançáveis e que, em qualquer nação séria, lhes renderia penas duríssimas e perenes, já que eles não denotam qualquer possibilidade, por mais remota que possa ser, de se regenerar. Como qualquer forma de cancro, de câncer maligno, devem ser sumariamente extirpados, bem ao estilo daquilo que tanto defendem: a "solução final" do castrismo assassino.
A sociedade está com a palavra. Mas lembrem-se: uma vez cometido o crime de lesa-pátria (votar por interesses particularíssimos), não haverá retorno. Pagaremos muito caro pela nossa inidoneidade, pela nossa leviandade, pela nossa alienação que está destruindo este belo e rico recanto continental, que bem poderia (e mereceria!) ser um paraíso na Terra.

* Cientista Jurídico-Social, Professor-Orientador Mestrado & Doutorado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar este tópico.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Faça aqui tua pesquisa!