sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Por esses dias

Olá pessoal,
Meio ausente do cantinho aqui pois ando muito ocupado bebendo, fumando e peidando pro diabo, brincadeira, fumar faz mal pra saúde e beber, com moderação, não faz lá tanto bem, mas do jeito que as coisas andam, precisamos relaxar.
Falando em relaxar estou aqui no Rio de Janeiro (ops, Rio?), sim gente, o Rio ainda existe. Existe Rio além dos nosticiários da TV, sabiam? E é uma coisa de louco. Loucos por aventura, diversão, cultura, prazer e fraternidade. Digo isso por que quando falo para algumas pessoas que estou no Rio, me perguntam logo duas coisas: se não ta chovendo muito aqui ou se eu não tem medo da violência. Esclareço: parem de ver o mundo apenas pela TV, nem tudo que a mídia mostra corresponde à realidade ou transmite a totalidade dela, resumindo: o Estado do Rio não se resume à região serrana, a capital, até agora, está em paz quanto às chuvas. Quanto à violência, eu teria que ir morar em Marte para me ver livre da violência, a Bahia não é nada melhor que o Rio nesses termos. Curto e grosso, pronto, falei.
Agora, ontem fui conhecer a noite da Lapa. Nossa. Lembrou-me o Pelourinho. Tribos e tribos vivendo emoções. Região boêmia de muito bom gosto. O que é Copacabana diante dos degraus espirituosos da escadaria da Lapa, que alías, pesquisando fiquei sabendo que ela foi decorada como presente de um chileno (Salarón) apaixonado pelo Rio e pelo Brasil. De fato uma declaração memoravel, pois o cara rodou mais de 50 países e de cada um deles trouxe azulejo para criar um grande mosaico, palco no qual os boêmios da Lapa terminam suas noites de festas ao som de bom violão. E eu vivi isso pra dizer que não a nada tão espetacular quanto. Aqui agradeço ao incrível Tiago Atzevedo por me dar o prazer dessa experiência inédita, mas não posso esquecer da companhia agradável de Leo, Sergio e Vinícius.
To aqui que nem pinto no lixo, feliz da vida. Domingo vou encontrar umas pessoas que eu não vejo há 30 anos, isto é, que eu nunca vi, mas cujo sangue também corre nas minhas veias. Sobre essa história eu falo noutro momento, vou aguardar o resultado desse esperado encontro.

No mais, o calor esta me deixando mais lerdo.

Abraços

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar este tópico.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Faça aqui tua pesquisa!