quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Assalto ao Banco do Brasil em Sátiro Dias - BA

Homens fortemente armdos assaltaram o Banco do Brasil de Sátiro Dias, por volta das 10h30 desta quarta-feira (4).

Os bandidos trocaram tiros com polícia e fizeram os clientes como escudos e alguns foram feridos com estilhaços de vidro e balas durante o tiroteio. Felizmente ninguém ficou em estado grave.

Mas o sargento da Polícia Militar, Robson Pereira, foi baleado e a viatura ficou cheia de furos de bala. O gerente e um guarda do banco também foram feitos reféns. Todos foram liberados alguns minutos depois.

O policial militar baleado foi levado em estado grave para o Hospital Dantas Bião, em Alagoinhas, e depois transferido para Salvador. Ele não corre risco de morrer.

Os assaltantes fugiram em uma caminhonete branca, que foi abandonada e queimada na zona rural da cidade minutos depois.

As cenas a seguir foram feitas pelo cineasta Abimael Borges, que trabalhava no momento do sinistro.



ATENÇÃO: O TEXTO A SEGUIR FOI ESCRITO NO EXATO MOMENTO EM QUE OUVÍAMOS OS TIROS. É UM TEXTO QUE NARRA O FLUXO DOS ACONTECIMENTOS. PUBLICAMOS O TEXTO NA ÍNTEGRA PARA CONSERVAR TODA SUA ORIGINALIDADE. ALGUNS PERCALSOS DA LÍNGUA SE DEVE AO EXTREMO ESTADO DE TENSÃO DOS PRESENTES E DA ESCRITORA CRISTIANA ALVES NESSE TENSO MOMENTO.

Querido!

" A vida permanece em mim, e eu nela; o amor permanece em mim e eu nele..."

Se estiver lendo... ora reza pensa em coisas positivas, tem um assalto em frente ao lugar que trabalho... estou com medo de alguém sair ferido... muitos tiros... reféns... Estou trancada no laboratoria... tem muita gente lá fora... Não tenho nooticias de acontecimentos... vou ficar bem , mas temo por quem não esta dentro do colégio... Há reféns no banco não sei quem são. Por favor perdoi-me de ficar te escrevendo agora , mas é que preciso me manter calma a unoica forma é escrevendo. Sei quue há violência em todos os lugares mas assunsta ve perto de nós.

Eu não diferencio tiros de bombas, pensei que eram fogos dentro da sala. Os alunos estão contidos embora nervosos. Quem está no colégio está protegido. Liguei para minha casa estão quase todos em casa... Não sei onde está meu pai, mas acredito que ele esteja na fazendo...

Estou aqui, mas fico preocupada com quem pode esta ferido.... Não consigo parar de escrever... Sinto paz em pensar em ti... sinto vontade de chorar também, mas nãO POSSO TEM ADOLESCENTES ESPERANDO QUE EU SEJA FORTE E NÃO CHORE... Fico pensando o quanto somos impotentes, o quanto o que fazemos não resolve, precisamos de ações sociais mais efetiva, m,as ignoramos as diferenças sociais.

Esta era uma cidade na qual se podia dormir com as janelas abertas, as portas e varandas não precisavam de feichadura, hoje transformam-se em presídio, estou trancada num, sair ou ficar és a questão, melhor ficar presa, por traz das grades de um colégio lugar de liberdade, como se fosse um presidio e esperar que os tiros nesta floresta da violência não atingam aqueles que nela percorres entre ruas de calçadas que se transformam em selvas do animais que são considerados civilizados.

pessoas que parecem iguais, não sei onde se desviam do humano, uns reféns de armas ouitros refeéns sociais, não sei o que se pode passa na cabeça das péssoas escrevo de fluxo, não sei mo que penso ou o que sinto neste momento.

Tenho informações que lá fora os tiros cessaram, a bordo de uma carro estão pessoas, semelhantes iguais, uns com armas na mão otros com a vida pos um fil, todos vivendioo num carrocel que não para de girar todos vivcendo um mundo que há pouco parecia irreal...

Quando minha vida cessar que ela se vá escrita com algo que remeta paz, não gosto de chorar çlagrias sobre palavras, não gosto de ver o lugar em que cresci transformado numa selva em que aniomais como eu, são predadores de homens...

Projetios por todo lado, vidros quebrados as pessoas falamam al meu redor eu não consigo deixar este teclado, estou paralizada em frente a uma tela de computador, sinto vontade de chorar não choro com lagrimas mas com palavras que slatam da minha mente em fluxxo, não escrevo com nexo, faço uma carta a alguém especiAL, CONFIRO SE MINHA FAMÍLIA ESTA EM CASA, QUANDO EU ME DESPEDIR DA VIDA NÃO QUERO IR COM MAGOAS, QUERO TER A CERTEZA DE QUE AMEI E FUIA AMADA DE DIFERENTES FORMAS, AOS MEU AMAIGOS nenuma saudade apenas a certeza de que vivi e fui feliz ao lado deles. É dificil ver a possibilidade de morrer em um mituto, penso que se eu estivesse lá fora correria riscos...n ão sei o que acontece... ERspero que não tenha,m feridos,penso que em pouco tempo o que escrevo estara noliciado de outra forma em jornais, falando de vítiamas e assacinos, ladrões, enteretanto neste momento eu so penso em pessoas...

Porque a vida tyem que se esvair, porque a necessidade de assaltos, porque ferir, machucar, tirar vida... a criminalidade cresce o uso de drogas também com ele o trafico, pessoas morrem e dizem que vão fecham o foram...

estamos onde terra de ninguém... Agora preciuso ir ter noticias do mundo lá de fora...

Estou bem acabou este capitilo do pesadelo chuva de tiros, assalto a banco... mas há reféns ainda não sei quem são.


Ficarei bem, tentarei chorar com lágrimas quando chegar em meu quarto ou num banheiro escuro, não quero guardar este sentimento que me aperta o peito, quero na próxima escritura te falar de amor, de um poema ou um sonho bonito, quero uma " Poesia lírica", quero as notas de uma canção, quero dar e receber carinho e proteção, não quero falar de tiros, não quero ver corpos feridos, nem almas dilaceradas, quero uma canção mais bonita. Se eu tivesse partido hoje minhas últimas palavras teriam sido para você.

Quero escrever belas canções para os poemas vivos do meu viver, não um lamento ou canto de dor, por isso continuarei a escrever sempre coisa que desejo viver, mas não estou afastada da realidade, não sou cega vejo o mundo lá fora, as na partitura da sinfonia de tiros não vejo harmonia alguma.

Não esquece vale cada instante em que estamos juntos, vale a vida, vale os sonhos... vale cada coisa que eu, você, as pessoas que conhecemos, filhos, irmãos, amigos, amores, pais, pessoas próximas, pessoas distantes nos proporcionaram de vida. Façamos uma valar a vida...


Beijos!


Cris

Desculpe-me os deslizes na gramatica neste momento escro o que sinto sem tempo para revisão viver é como escrever este texto um rascunho sem revisão.

3 comentários:

  1. Meus olhos se encheram de lágrimas ao ver este video, dificil acreditar que a cidade calma e pacata onde cresci se tornou um lugar tão perigoso!Tenho bos lembranças de minha infância e adolescencia hoje me resta rezar e pedir a Deus que proteja a todos já que aqueles que adiministra a cidade pouco faz por ela! Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  2. Fiquei emocionado ao ler o escrito de Cristiana... Posso imaginar a aflição que todos viveram... Hoje eu a encontei em Alagoinhas e só aí soube do ocorrido. Graças a Deus nossa escritora está bem, foi só um susto!

    ResponderExcluir
  3. gente. sou cunhado do soldado robson pereira, e pude saber do ocorrido atraves das imagens feitas pelo abimael. parabens por esta prestação de serviço. moro em são paulo e estou acompanhando alem das informações com a nossa familia, as informações postadas aqui. obrigado a todos e peço orações para o robson. obeigado.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar este tópico.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Faça aqui tua pesquisa!