segunda-feira, 31 de maio de 2010

Magnífico Amor

Quando lançaste aquele olhar sobre mim
Pela luz de mil estrelas fui iluminado
Pelo calor de mil sois fui incandescido
E vivi eternidades de amor sem fim
Dimensões inimagináveis de felicidade
A profundidade de teus toques
Desbancavam as grandezas das galáxias
E o teu perfume inebriante
Envergonhava sete planetas de jardins
Mas quando de mim retiraste aquele olhar
Trezentos mil mares frios recaíram sobre mim
E me congelou setecentas mil Antártidas
De uma só vez trezentas mil flores se secaram
Uns milhões de andorinhas não voaram
E minhas lágrimas somavam os bilhões
Em tantas gotas tépidas e avermelhadas
Como o sangue vivo que se jorrasse
Mas agora que a dor está se indo
E a liberdade de não te querer vem despontando
Bradarei com vinte mil rojões em chamas
Para que todos saibam que eu consegui te esquecer
Para que ninguém jamais esqueça o quanto te amei
Para que ninguém jamais deixe de lembrar
Que por mais que um forte amor possa durar
Por mais que seja “infinito enquanto dure”
Quando o indesejável fim sobrevier
Não restará fulgor de luz de vela e lamparina
Nem quem se preste a permanecer de pé...


--------------------------------------------------------------------------------------------------------
Já faz algum tempo que deixei de postar poemas. Agora é só mais uma recaída. Abraço a todos. Abimael Borges.

3 comentários:

  1. AFF, quanto exagero num pequeno poema, assim é o amor, assim é vc...
    Adorei!!!

    ResponderExcluir
  2. oi abimael eu estou em brasilia df mais toda semana-eu confiro o seu blog prver se tem postagens; nova lembranças a todos desta linda cidade chamada satiro dias ba.ass.paulo da costa

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar este tópico.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Faça aqui tua pesquisa!